Folha paroquial – Domingo IV do Advento

Folha paroquial – Domingo IV do Advento

A folha pode ser descarregada aqui

As três leituras convergem para nos apresentar a fidelidade de Deus que realiza uma aliança com David, assegurando a este descendente real a estabilidade do seu reino, e cumpre essa promessa firmando uma aliança com Maria fazendo dela a mãe do Messias. Na Anunciação do anjo a Maria, começa a revelar-se “o mistério que estava encoberto desde os tempos eternos, mas agora foi manifestado e dado a conhecer a todos os povos” (2ª leitura).
O Deus fiel, rocha inabalável, que cumpre sempre as suas promessas é também um Deus surpreendente. David na plenitude do seu poder real, depois da sua aclamação como rei de Judá e Israel, acolheu na parte mais alta da cidade, onde vive, a Arca da Aliança, sinal da presença divina. Mas falta-lhe realizar ainda o seu sonho de construir um templo grandioso como digna morada de Deus. Num primeiro momento o profeta Natã parece estar de acordo com o sonho de David e, por isso, deu-lhe uma resposta segundo a sua sabedoria humana. Mas durante a noite, Deus revela-se ao profeta Natã e diz-lhe outra coisa: «Vai dizer ao meu servo David: Pensas edificar um palácio para Eu habitar? (…) O Senhor anuncia que te vai fazer uma casa…
Deus é que fará a David uma casa, no sentido de descendência, prometendo-lhe estabilidade e anunciando-lhe uma descendência real e messiânica. David é que deve entrar no projeto de Deus e não o contrário.
Muitas vezes temos a pretensão orgulhosa, ainda que bem- intencionada, de fazermos coisas para Deus, mas o importante não é os serviços que fazemos para Deus mas é a escuta da Sua vontade, é entrarmos no seu projeto, no seu sonho, porque quando entramos no seu projeto as coisas avançam com grande fecundidade. O autor bíblico lembra-nos também que o projeto de Deus não é só bom para nós mas que diz sempre respeito ao bem de todo o povo, e ao futuro da humanidade. “Prepararei um lugar para o meu povo de Israel; e nele o instalarei para que habite nesse lugar, sem que jamais tenha receio e sem que os perversos tornem a oprimi-lo como outrora”. É sempre muito importante questionarmo-nos: “Senhor estou a fazer o que tu queres? A entrar no teu projeto ou a fazer a minha vontade?”
O Evangelho mostra-nos que todas as promessas feitas a David se fundem e realizam em Jesus Cristo, o Messias, pertencente à família de David e é o Filho feito homem, o novo Templo, a Casa que Deus preparou para que Deus e o homem se encontrem. Além disso, o povo de Deus, a casa de Jacob, encontra finalmente em Jesus o rei que leva a cabo o verdadeiro ideal do reino, um ideal de justiça, de paz e fraternidade. Assim, a obra de Deus, a sua fidelidade e o seu dom é o centro da narrativa evangélica. Mas o evangelista mostra-nos a atitude de Maria, como a que torna possível este dom divino com o seu sim incondicional. Ao contrário de David ela não tem sonhos de grandeza nem ocupa na sociedade um lugar de relevo que a permita ter influência nos grandes projetos humanos, mas a sua casa e o seu coração abrem-se de par em par quando o anjo entra como mensageiro divino. Maria crê firmemente na fidelidade de Deus e põe-se totalmente à sua disposição. «Eis a escrava do Senhor, faça-se em mim segundo a Tua Palavra”. Quando somos dóceis a Deus e nos deixamos usar por Ele, não importa a grandeza, o prestígio ou a influência humana que tenhamos. A História da Salvação mostra que Deus frequentemente usa os humildes e pequenos para realizar grandes coisas, porque Ele é que é o Senhor da História.
A Maria é-lhe pedido que acredite no inacreditável. Ela, Virgem, terá um filho. O anjo dá-lhe o sinal de Isabel que sendo estéril vai dar á luz. A história da salvação está cheia de nascimentos prodigiosos a partir de mulheres estéreis, pois é a história do impossível que Deus torna possível.
Maria aparece como mulher da fé porque é chamada a crer mais na promessa incrível de Deus e no poder da sua palavra do que na evidência da sua capacidade humana de realizá-la (não conheço homem).
Na véspera de natal, queria fazer ressoar a voz do anjo a Maria: Alegra-te Maria, o Senhor está contigo! Ouçamos para nós estas palavras: Alegra-te porque o Senhor está contigo. Ele é o Emanuel, Deus connosco que nos foi dado pela fidelidade de Deus e pelo sim de Maria. Bendito seja a bondade e a misericórdia de Deus.

Deixar uma resposta