Notícia divulgada pela Agência Lusa

Notícia divulgada pela Agência Lusa

A Paróquia de São João Baptista, criada há cerca de nove anos, organiza, no sábado, uma gala solidária no Convento São Francisco, em Coimbra, com vários artistas, para angariar fundos para a construção do seu centro comunitário.

A mais recente paróquia de Coimbra, situada na Quinta da Portela, está, desde a sua fundação, a funcionar num pré-fabricado, querendo avançar com a construção de um centro comunitário para dar resposta a uma paróquia cada vez maior, disse à agência Lusa o padre Jorge Silva Santos.


Para tal, tem organizado vários eventos de angariação de fundos, sendo o próximo o de “maior dimensão”, envolvendo uma gala solidária que conta com a participação dos Anaquim, Coimbra Gospel Choir, Ararur, Sofia Rosado, Telmo Melo e o Grupo de Fados Coimbra de Sempre.

Segundo o padre da paróquia, a construção do centro comunitário vai custar cerca de 800 mil euros, estando previsto no edifício a criar uma sala com capacidade para 100 pessoas, cozinha, várias salas de reuniões, uma casa funerária e um bar “aberto a toda a gente que vai funcionar como um interface entre a paróquia e o mundo que não é crente”.

Neste momento, explica, “é muito complicado gerir tudo no pré-fabricado”. “Fazemos tudo na igreja. É um multiusos completo, onde se come, onde se bebe, onde se reza e onde se celebra a missa”, contou.

Jorge Silva Santos sublinha que havia a expectativa de fazer “a benção da primeira pedra” do centro comunitário no sábado, mas tal não vai acontecer por o projeto de arquitetura ainda não ter sido aprovado pela Câmara de Coimbra. “Está lá há meses e ainda não está aprovado. Precisamos que a Câmara seja mais resoluta e célere”, notou o padre da paróquia.

Neste momento, a paróquia já angariou 250 mil euros, sendo que já estão previstos outros eventos para angariar fundos, como um “jantar bíblico”, em abril, na Escola de Hotelaria de Coimbra, e peregrinações a Lourdes (França) e à Rússia.

“Gostaríamos de começar entretanto as obras. Temos necessidade – como do pão para a boca – do centro comunitário”, refere, sublinhando que a paróquia tem crescido muito, acompanhando o aumento de pessoas a morar na Quinta da Portela, zona da cidade que tem registado um crescimento na construção.

Deixar uma resposta