Arquivo da categoria Catequese

Falar aos outros: como e porquê?

No comumente chamado “Alpha da catequese” por se dirigir essencialmente aos pais da catequese do 3º ano da paróquia de São João Baptista, estamo-nos a aproximar do final do percurso e no passado sábado o tema do almoço foi aquele que está enunciado no título: “Falar aos outros: como e porquê?”.

Sabemos bem que os católicos em particular têm frequentemente o hábito de serem bastante discretos no que toca à sua fé. O filme que vimos falava em particular de um tio António que não falava da sua fé a ninguém, apesar de parecer bastante convicto: mas a verdade é que, se ninguém tivesse anunciado o Evangelho ao tio António, ele nunca poderia ter acreditado…

Em princípio todos os cristãos devem estar convictos desta necessidade, a de falar aos outros da nossa fé, de Cristo, das razões da nossa esperança. Às vezes não parece, mas deverá ser. E a isso o Senhor nos mandou: «Ide pelo mundo inteiro, proclamai o Evangelho a toda a criatura. Quem acreditar e for baptizado será salvo; mas, quem não acreditar será condenado. Estes sinais acompanharão aqueles que acreditarem: em meu nome expulsarão demónios, falarão línguas novas, apanharão serpentes com as mãos e, se beberem algum veneno mortal, não sofrerão nenhum mal; hão-de impor as mãos aos doentes e eles ficarão curados.» (Mc 16) Ou em Mateus: «Foi-me dado todo o poder no Céu e na Terra. Ide, pois, fazei discípulos de todos os povos, baptizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a cumprir tudo quanto vos tenho mandado. E sabei que Eu estarei sempre convosco até ao fim dos tempos.» (Mt 28)

FESTA DE ADVENTO CATEQUESE SJBAPTISTA

No próximo sábado, 14 DE DEZEMBRO
15h30 – Confissões para todas as crianças a partir do 4º ano, adolescentes, e respetivos pais que queiram aproveitar esta oportunidade.
17h30 – Eucaristia para a qual todas as crianças e adolescentes são convidados a trazer o Menino Jesus do presépio lá de casa para ser benzido.
18h30 – Concerto com o Coro dos Pequenos e Jovens Cantores de Coimbra.

Percurso Alpha para pais da catequese

Este ano resolvemos apostar num percurso Alpha, que arrancou no passado sábado 12 de outubro, especialmente dirigido aos pais da catequese e que por isso está a decorrer aos sábados à hora de almoço, para além do “clássico” que continua a decorrer à sexta-feira à noite.

Está a ser muito engraçado o facto de neste percurso o número das crianças mais que duplicar o número de participantes, ié, dos adultos que estão a fazer este percurso: eram umas 27 crianças.

Este percurso Alpha decorrerá aos sábados à hora do almoço de 15 em 15 dias.

Abertura da Catequese

No passado dia 5 de outubro, a unidade pastoral de S. José e S. João Baptista deu início a mais um ano de catequese, contando desta vez com a presença da escritora Maria Teresa Maia Gonzalez, no Seminário Maior de Coimbra.

Entre as 11h30 e as 13h, com o salão cheio, a escritora dirigiu-se essencialmente às crianças, do 1º ao 6º ano, mas também aos seus pais e educadores, criando-se desde logo um ambiente de grande proximidade.

Num primeiro momento, Maria Teresa leu o seu livro “Eu Te agradeço”, cativando cada um dos presentes com a sua expressividade e aproveitando para salientar a importância de se ser agradecido nas pequenas coisas da vida. Numa segunda parte, houve tempo para as mais variadas perguntas, de entre as quais a questão sobre de onde lhe vinha a inspiração para escrever, ao que a escritora respondeu, sem hesitar, que esta lhe era dada pelo Espírito Santo.

Depois de uma sessão de autógrafos e de um almoço partilhado em que não faltou animação, foi a altura de a escritora se dirigir aos mais crescidos, enquanto as crianças faziam atividades ligadas ao tema da gratidão pelos jardins do Seminário, com vários animadores. Durante a sessão da tarde, Maria Teresa abordou alguns dos temas que frequentemente foca nos seus livros, tais como a família, as perdas e a compaixão pelos que mais sofrem, aproveitando para lhes dar um toque cristão, tão presente na sua vida.

Terminámos o dia celebrando a Eucaristia, onde Jesus Se faz particularmente presente no Seu Corpo e Sangue e, deste modo, alimenta a nossa Fé.

Assim foi mais uma abertura de um ano de catequese, de que certamente todos saímos com o coração cheio, desejosos de abraçar a vida de alma grata, lado a lado com Jesus.

Isabel Caetano

 

 

Abertura da Catequese 2019 – 5 Outubro

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ABERTURA CATEQUESE 2019
unidade pastoral S. José e S. João Baptista

5 de Outubro
no Seminário Maior de Coimbra
Presença da escritora Maria Teresa Maia Gonzalez
Para todos os pais, catequistas, educadores, crianças e adolescentes

PROGRAMA
11h30 – Encontro da escritora com as crianças
13h00 – Almoço partilhado
14h00 – Encontro da escritora com adolescentes, pais, catequistas e educadores
16h00 – Eucaristia

Aberto a toda a comunidade.

Oportunidade única.
Participe!

ALPHA para pais da catequese

Há muitos anos que a paróquia vai crescendo sobretudo alimentada pelos percursos Alpha e há muito tempo que se vem falando da necessidade de se propor um percurso Alpha adaptado às famílias que pelas mais diversas razões não podem estar à sexta-feira à noite.

Nasceu assim a ideia de este ano fazermos um percurso Alpha aos sábados a partir da hora de almoço destinado sobretudo às famílias da catequese e outras com crianças em idade escolar.

O Almoço de apresentação será no dia 12 de outubro a partir das 13h00.

CATEQUESE

As inscrições continuam em curso na secretaria (todos os dias da parte da tarde, exceto às segundas que está fechada).

Festa do compromisso para os adolescentes XD do 9º ano da catequese

Os 8 adolescentes que ao longo deste ano caminharam na fé com a catequista Madalena Sousa comprometeram-se na quinta-feira, dia da solenidade do Corpo de Deus, diante de toda a comunidade paroquial, a envolverem-se na missão da Igreja Universal, concretamente na nossa comunidade paroquial.

Para o ano que vem ir-se-ão preparar para receber o sacramento do Crisma: rezemos por eles.

A Catequese Familiar na perspetiva de uma mãe

Um dia…a caminho de casa “tropecei” com o cartaz da catequese familiar… Não sabia bem como seria, mas como procurava uma alternativa ao modelo habitual, decidi aceitar o desafio.

Comecei a frequentar esta catequese, cheia de receio de não estar à altura de acompanhar o Rodrigo nesta nova caminhada… Depois percebi que tinha que ajudar o Rodrigo em algumas lições do seu catecismo… inicialmente fiquei sem saber como. Mas, depois as conversas foram surgindo com naturalidade e hoje percebo que tal como em outras aprendizagens, o caminho faz-se andando.

Também percebi que só uma criança nos reporta de novo à realidade de como acreditar de coração aberto e com o meu filho reaprendi algumas coisas como “Mãe … as pessoas que gostamos muito e morrem vão para o céu…e o céu é um lugar seguro…”

Quanto a dúvidas, tenho muitas, mas na paróquia encontrei quem me ajudasse a aproximar-me da comunhão de Deus… Ainda que a dar os primeiros passos percebo que acompanhar o meu filho na fé, faz todo sentido…dado que com ele estou a crescer e a vivenciar a linda mensagem de Amor que Jesus Cristo nos deixou.

Celínia Antunes

A alegria de ser catequista

Quando, há 6 anos atrás, o Pe. Jorge me desafiou, à saída de uma missa dominical, para ser ‘catequista de pais’ a minha grande tentação foi dizer que ‘não’. Não, eu não era a pessoa indicada… Não, eu não sabia o suficiente para essa missão… Não, eu não tinha tempo… Apesar de hesitar um pouco, quando percebi que era Deus quem me chamava não pude resistir.

Não sabia o que me esperava. Não havia caminho traçado, pois estávamos a testar um novo modelo de catequese. Quantas vezes levava um tema preparado, mas o Espírito Santo, com o Seu plano, baralhava-me o esquema… E a conversa surgia, e as perguntas brotavam, e as dúvidas baralhavam, e as respostas iam fluindo. Houve discussões frutuosas, outras mais acesas, algumas incompreensões, muita ajuda.

Entretanto esse grupo acabou o seu percurso de 6 anos e outro já começou (onde está também o meu filho mais novo, pelo que agora sou mãe e catequista em simultâneo). E percebo, mais do que nunca, que é esta a missão concreta a que o Senhor me chama na Paróquia para onde me conduziu.

Ser animadora de catequese familiar é, acima de tudo, acompanhar outros irmãos na sua caminhada de fé. A partir do ponto onde estão, do concreto das suas vidas, particularmente da sua realidade familiar. É ser Igreja num pequeno grupo onde se partilha, se escuta, se propõem caminhos de santidade. É levar algo para contar e aprender com a vida do quotidiano.

E depois é tão bom celebrar a Eucaristia Dominical e ver estes rostos conhecidos, lembrar as suas histórias de vida, e colocar tudo isso sobre o Altar… É uma Igreja de rostos concretos, uma comunidade que se constrói, uma experiência partilhada da alegria de ser cristão!

Margarida Castel-Branco Caetano