Arquivo da categoria Eventos

Festas de S. João na Quinta da Portela

Apesar de bastante recente, são cada vez mais uma referência na nossa cidade os festejos em honra de S. João Baptista organizados pela nossa paróquia.

Para a comunidade paroquial, trata-se de um acontecimento estruturante: a terminar o ano pastoral, cerca de 200 voluntários organizam-se para receberem o melhor que podem e sabem quem nestas duas noites nos quiser visitar para confraternizar à volta de umas sardinhas, febras, etc.


É fantástico e uma graça que em muito nos ultrapassa o ambiente vivido entre as centenas de voluntários que querem vir servir durante estes dois dias.

Encontrei várias pessoas que não conhecia de lado nenhum (e que portanto não frequentam de todo a vida paroquial nos seus diversos grupos) e que aparecem por estes dias porque ouviram falar do ambiente que por lá se experimenta.

Ouvi das senhoras da cozinha que lá tinha aparecido uma senhora a pedir se podia integrar-se e com elas descascar batatas, cortar cebola e couve, etc: no fim, comovida, agradeceu a oportunidade fraterna que lhe tinha sido oferecida.

E quem nos visita testemunha isso mesmo: a sardinha pode ser melhor ou pior, mais seca ou mais gorda, mas sentem-se muito bem acolhidos. Sentem bem que há uma comunidade por detrás e questionam-se sobro o que a suportará.

Para o ano há mais!

Noite de louvor – Concerto em oração

A comunidade paroquial da igreja de S. João Baptista acolheu na sexta-feira dia 21, a partir das 21h30, uma noite de louvor liderada pelo grupo de louvor do Alpha Portugal. Trata-se de um estilo de música cristã contemporâneo que está a fazer furor um pouco por toda a Europa e Américas, sobretudo entre os jovens, chamado hillsong, que surgiu de uma igreja com o mesmo nome em Sydney, na Austrália.

Desta vez foi em S. João Baptista: para o ano estamos a preparar uma série de concertos com este mesmo grupo em S. José, quando as obras do salão estiverem terminadas.

Foi muito bom: no centro estava uma cruz iluminada à volta da qual estavam dispostos os músicos e, atrás deles, os participantes que acorreram em grande número, com uma elevadíssima percentagem de jovens.

Houve quem tenha sabido do concerto pelas redes sociais e tenha percorrido centenas de quilómetros para nele participar e houve quem tenha contado 138 pessoas.

As letras das músicas foram projetadas em duas paredes para possibilitar que todos pudessem cantar e, no intervalo das canções havia muito quem fizesse orações espontâneas. Invocámos o Espírito Santo, louvámos o Senhor e até rezámos por quem precisasse.

Em Setembro há mais e em breve será conhecida a data.

ALMOÇO GOEZ

Depois de inúmeros almoços e jantares temáticos, chegou a vez dos sabores indianos. Uma família da nossa paróquia com raízes em Goa, a do Prof. Xavier Viegas, ofereceu-se para contribuir para a angariação de fundos da construção do Centro Comunitário através de um almoço Goez confecionado por eles lá na paróquia.

Embora a ementa que aqui reproduzimos pareça complicada, o Professor teve a amabilidade de a explicar, contextualizando-a culturalmente com referências à sua infância.

Foi um sucesso:

numérico, porque mais uma vez a igreja atingiu a sua lotação máxima e até tiveram que ser recusadas algumas inscrições, tendo estado perto de 180 comensais;

fraterno, porque mais uma vez um número considerável de irmãos da paróquia se juntaram aos familiares do Prof. Xavier Viegas que tinham vindo cozinhar, testemunhando daquilo que vivemos na paróquia;

missionário, porque mais uma vez conseguimos atrair um número considerável de pessoas que de outra forma não se aproximariam da Igreja;

monetário, porque conseguimos angariar mais perto de 1000 euros para a conta da construção que já ultrapassou largamente a barreira dos 250.000 euros.

Por agora, para além do jantar de sabores bíblicos, há muito esgotado, que está marcado para a primeira sexta-feira de Abril, véspera do fim de semana Alpha, teremos em meados de Maio um almoço à base de cabrito que o sobrinho do Pe Jorge entretanto ofereceu, solidário que está com a construção do Centro Comunitário.

Almoço Goez

Depois dos sabores africanos e da beira, chegou a vez dos sabores indianos com um almoço ao estilo de Goa: galinha de caril. Para quem não gostar/suportar este tipo de condimentos, nomeadamente as crianças, será preparado um prato alternativo. Preço: 10€

Inscreva-se online:

Escola de Pais com os Jesuítas

Os jesuítas em Coimbra vão organizar a partir de sexta-feira, dia 1 de fevereiro, uma Escola de Pais, com encontros mensais que ajudem os pais a reflectir sobre temas que os preocupam na educação dos seus filhos. Entre os temas estão a utilização da internet e dos videojogos, a educação para a afetividade, a ansiedade ou a pedagogia inaciana.

1 de Fevereiro – Os pais são chatos! São mesmo? Com Laurinda Alves e Roque Cunha Ferreira
1 de Março: Redes sociais e internet: inimigos ou parceiros na educação?
5 de Abril: Educar para a afetividade.
10 de Maio: Ansiedade: um sinal dos tempos?
14 de Junho: Pedagogia inaciana: o que é?
Brevemente serão anunciados os convidados das restantes sessões.

Informações: gabcom@caic.pt

Conferências Quaresmais 2019 para o Arciprestado de Coimbra Urbana

Acolhei-vos uns aos outros.

14 Mar – Acolher na Comunidade Cristã
Pe Gonçalo Amaro (Porto)

21 Mar – Acolher o descartado
Entrevista com Marta Neves (Assoc. Ergue-te), Justina Dias (Farol-Caritas) e Ana Figueiredo(Assoc Saúde em Português)

28 Mar – Acolher o idoso
Entrevista com Marisol Simões e Armando Garcia (Centro de Acolhimento João Paulo II) e com Cristiana Correia(Conferências Vicentinas de Coimbra)

04 Abr – Acolher a diferença em família
D. Ilídio Leandro (bispo emérito de Viseu)

11 Abr – Celebração do Perdão para toda a cidade (Sé Nova)
Preside D. Virgílio Antunes, Bispo de Coimbra

Edição de 2019 do Enovar

A edição de 2019 do Enovar teve início num clima de “renovação inadiável”, ideia sublinhada pelo Pe. Jorge Silva Santos, o director nacional Alpha, e por D. Jorge Ortiga, Arcebispo Primaz, ao dar as boas-vindas aos participantes que enchiam o auditório do Espaço Vita, em Braga.

Na sessão de abertura, o Pe Jorge Santos alertou para a necessidade da definição de uma visão e estratégia pastorais, na importância de se pensar o processo que leva a que um discípulo passe da paixão à acção – o lema deste evento – entendendo-se por paixão o entusiasmo da fé, o amor forte que vem do encontro com Cristo.

D. Jorge Ortiga afirmou a “urgência de uma renovação e de uma reforma” na pastoral da Igreja. “É mais usual centrar as prioridades no exercício de uma reforma. Mas ela, na ausência de um processo de renovação, não convencerá ninguém”, afirmou o Arcebispo de Braga, para quem “em experiências de pequenos grupos, de âmbitos diferentes, devemos promover a cultura do encontro perante a generalizada cultura da indiferença, na comunhão uns com os outros. (…) Como consequência, as paróquias, comunidade de comunidades, anunciarão, de um modo credível, o Evangelho como alegre notícia para hoje.”.

D. Virgílio Antunes, numa entrevista conjunta com Florence de Leyritz, conduzida pela Isabel Gaspar, sobre o tema “Plano Pastoral”, assumindo que são os próprios cristãos o grande obstáculo à evangelização e que o trabalho em equipe é o grande local de sofrimento na Igreja, incentivou os presentes ao desafio da experiência, a passar das ideias ao plano operativo, a mergulhar e contactar mais intensivamente com a palavra de Deus.

Mais tarde o nosso bispo haveria ainda de subir ao palco para apresentar o livro prefaciado por ele e que ali foi finalmente lançado em português, apesar de servir já há alguns anos para muitos padres, paróquias e cristãos de Portugal: Renovação Divina do Pe. James Mallon. Como ele próprio refere no prefácio, “As comunidades cristas têm inscrita na sua identidade a força da contínua renovação, que se torna real quando se deixam conduzir pela força do Espírito Santo e se decidem a viver na fé. Falha frequentemente a capacidade humana de discernir a situação em que nos encontramos e quais os caminhos a percorrer em ordem à renovação desejada. A falta de uma visão objetiva e clara sobre a vida da comunidade e a ausência de perspetivas quanto ao futuro são demolidoras para uma paróquia ou para qualquer outra comunidade eclesial.”

Numa conferência sobre a Visão Pastoral, Florence Leirytz, uma apaixonada pela evangelização que em França esteve na origem do percurso Pasteurs selon mon Coeur pelo qual já passaram mais de mil padres e 70 bispos, entre os quais o nosso vigário para a pastoral, Pe. Jorge Santos, haveria dar aos presentes pistas para encontrar uma visão pastoral para a comunidade e para cada um individualmente: qual a minha visão do meu trabalho na Igreja, qual a visão do meu Grupo de Jovens, do Grupo Coral, etc? Esta visão deverá ser expressão do grito que vem da nossa comunidade e que vai para Deus, deverá dar resposta à nossa santa insatisfação e até despertá-la e aumentá-la. Uma visão que nos leve à transição para uma Igreja comunidade de discípulos: tornar-se arquiteto de processos pastorais.

Gala Solidária

Com a graça de Deus e a colaboração de muitos, conseguimos mesmo encher o grande auditório do Convento de S. Francisco com perto de 1200 lugares.

Contámos com um elenco de artistas de alta qualidade, todos da nossa cidade, que foram desfilando pelo palco a animar uma plateia na sua maioria composta pelos nossos paroquianos acompanhados pelos seus amigos: foi uma noite muito animada e muito quente humanamente onde se ouviu a tempo e a contratempo a palavra comunidade.

Foi um bom espetáculo que muito nos encheu não só pela qualidade artística mas sobretudo por mais uma vez constatarmos que, quando trabalhamos juntos e focados num objetivo comum, com a Graça de Deus, a coisa acontece. Assim tem sido nas festas populares de S. João Baptista, nos diversos jantares que temos organizado (e têm sido muitos, sempre com sala cheia), nas viagens e peregrinações (Terra Santa, ópera, Lurdes, Rússia), concertos, etc.

No final no ano passado (31 Dez 2018) a conta da construção ia em 243.022,04€, e agora, com toda a certeza, passámos a barreira dos 250.000€ e temos praticamente 1/3 do dinheiro necessário para a construção do Centro Comunitário.

O Sr Bispo estará na nossa paróquia em visita pastoral de 28 a 31 de Março e ainda temos esperança de lançar nessa data a primeira pedra… falta só que a Câmara aprove…

Na página Facebook dos Anaquim

Anaquim, Os Quatro e Meia. Com o Coimbra Gospel Choir, Susana China, Telmo Melo e outros embaixadores de Coimbra fizemos a festa no Convento São Francisco em prol do Centro Comunitário de S.Joao Baptista. #coimbra #osquatroemeia #coimbragospelchoir #telmomelo

Notícia divulgada pela Agência Lusa

A Paróquia de São João Baptista, criada há cerca de nove anos, organiza, no sábado, uma gala solidária no Convento São Francisco, em Coimbra, com vários artistas, para angariar fundos para a construção do seu centro comunitário.

A mais recente paróquia de Coimbra, situada na Quinta da Portela, está, desde a sua fundação, a funcionar num pré-fabricado, querendo avançar com a construção de um centro comunitário para dar resposta a uma paróquia cada vez maior, disse à agência Lusa o padre Jorge Silva Santos.


Para tal, tem organizado vários eventos de angariação de fundos, sendo o próximo o de “maior dimensão”, envolvendo uma gala solidária que conta com a participação dos Anaquim, Coimbra Gospel Choir, Ararur, Sofia Rosado, Telmo Melo e o Grupo de Fados Coimbra de Sempre.

Segundo o padre da paróquia, a construção do centro comunitário vai custar cerca de 800 mil euros, estando previsto no edifício a criar uma sala com capacidade para 100 pessoas, cozinha, várias salas de reuniões, uma casa funerária e um bar “aberto a toda a gente que vai funcionar como um interface entre a paróquia e o mundo que não é crente”.

Neste momento, explica, “é muito complicado gerir tudo no pré-fabricado”. “Fazemos tudo na igreja. É um multiusos completo, onde se come, onde se bebe, onde se reza e onde se celebra a missa”, contou.

Jorge Silva Santos sublinha que havia a expectativa de fazer “a benção da primeira pedra” do centro comunitário no sábado, mas tal não vai acontecer por o projeto de arquitetura ainda não ter sido aprovado pela Câmara de Coimbra. “Está lá há meses e ainda não está aprovado. Precisamos que a Câmara seja mais resoluta e célere”, notou o padre da paróquia.

Neste momento, a paróquia já angariou 250 mil euros, sendo que já estão previstos outros eventos para angariar fundos, como um “jantar bíblico”, em abril, na Escola de Hotelaria de Coimbra, e peregrinações a Lourdes (França) e à Rússia.

“Gostaríamos de começar entretanto as obras. Temos necessidade – como do pão para a boca – do centro comunitário”, refere, sublinhando que a paróquia tem crescido muito, acompanhando o aumento de pessoas a morar na Quinta da Portela, zona da cidade que tem registado um crescimento na construção.