Arquivo da categoria Vida Paroquial

Almoço de acolhimento para os habitantes da Quinta da Portela

A ideia surgiu em Novembro da cabeça do Pe Jorge: que se pudesse fazer um almoço que fosse de acolhimento para alguns dos habitantes da Quinta da Portela, onde estão implantadas as instalações que suportam a comunidade mais ampla que é a de S. João Baptista.

A ideia era muito simples e aparentemente eficaz: depois do Natal e antes do jantar de apresentação do perCurso Alpha, envolvendo tanto quanto possível aqueles que já frequentam a paróquia, proporcionar um momento de convívio para todos quantos quisessem aceitar este convite de vir confraternizar no espaço que é o da reunião semanal e diária dos cristãos da zona.

Entre adultos e crianças, fomos cerca de oitenta: tínhamos um insuflável que procurava atrair os pais pelos interesses dos filhos mais pequenos, entradas e petiscos variados que serviram de quebra-gelo entre os convivas, dois pratos à escolha para que ninguém se sentisse excluído pela escolha da ementa, algumas sobremesas que os paroquianos generosamente partilharam e um pequeno grupo da nossa comunidade que se desdobrava para que todos sem exceção se sentissem bem acolhidos.

Na minha ótica, foi um sucesso. Talvez não sob o ponto de vista numérico, uma vez que percentualmente lá estivesse apenas uma pequena amostra dos vários milhares que já habitam naquela zona.

Pessoalmente, embora não me tenha sido possível falar com todos aqueles que não conhecia, dediquei-me a alguns que percebi ser a primeira vez que entravam na Igreja, apesar de ali viverem há já algum tempo, recolhi algumas inscrições para o Jantar de Apresentação do perCurso Alpha, troquei contactos telefónicos com alguns e até falámos na possibilidade de nos convidarmos mutuamente para as nossas casas.

Paulo Farinha Silva

Folha Paroquial nº 60 *Ano II* 13.1.2019 — DOMINGO DO BAPTISMO DO SENHOR

«O Senhor abençoará o seu povo na paz.»

A folha pode ser descarregada aqui.

«EVANGELHO (Lc 3, 15-16.21-22)
Naquele tempo, o povo estava na expectativa e todos pensavam em seus corações se João não seria o Messias. João tomou a palavra e disse-lhes: «Eu baptizo-vos com água, mas vai chegar quem é mais forte do que eu, do qual não sou digno de desatar as correias das sandálias. Ele baptizar-vos-á com o Espírito Santo e com o fogo». Quando todo o povo recebeu o baptismo, Jesus também foi baptizado; e, enquanto orava, o céu abriu-se e o Espírito Santo desceu sobre Ele em forma corporal, como uma pomba. E do céu fez-se ouvir uma voz: «Tu és o meu Filho muito amado: em Ti pus toda a minha complacência».»

A Igreja começa o tempo comum, depois da celebração do batismo do Senhor que corresponde ao 1º Domingo do tempo comum. Na vida de Jesus como também na nossa vida de discípulos d’Ele, tudo começa com o batismo. Diz-nos a 2ª leitura de hoje tirada dos Actos dos Apóstolos: “Vós sabeis o que aconteceu em toda a Judeia, a começar pela Galileia, depois do baptismo que João pregou: Deus ungiu com a força do Espírito Santo a Jesus de Nazaré, que passou fazendo o bem e curando todos os que eram oprimidos pelo Demónio, porque Deus estava com Ele”.
O Batismo de Jesus no rio Jordão é um facto histórico, bem atestado por todos os evangelistas. Mas estes não nos dão só o facto, relatam-nos também a experiência interior que Jesus viveu neste momento. S. Lucas diz-nos que enquanto Jesus orava, durante o baptismo, o céu abriu-se e o Espírito Santo desceu sobre Ele em forma corporal, como uma pomba. E ouviu-se então a voz do Pai: « Tu és o meu Filho muito amado: Em tu pus toda a minha complacência.»
Mas como é que S. Lucas, que não foi apóstolo, e portanto não estava lá com Jesus, pode ter acesso à experiência que Jesus viveu neste momento e que reorientou a sua atividade de, até aí escondida, para uma vida pública? S. Lucas tem um termo de comparação: É a experiência que a comunidade cristã do seu tempo fazia do batismo. Este sacramento era vivido na assembleia cristã em ambiente de profunda oração e louvor de Deus. Os batizados eram mergulhados na água de uma piscina, diante de toda a comunidade, sinal do seu mergulho no amor Trinitário do Pai , do Filho e do Espírito Santo, através do dom pascal de Jesus. O Espírito Santo, vinha e fazia-os sentir o amor do Pai testemunhando ao seu espírito humano que que eram filhos de Deus no Filho a cujo mistério de morte e ressurreiçaõ se uniam. O mesmo Espírito Santo derramado nos seus corações fazia-os dizer, à maneira de Jesus: « Abbá, Pai». Esta envolvência tão profunda no amor trinitário era o início da vida dos crentes que doravante são chamados a viverem como homens novos, “fazendo o bem” e anunciando as maravilhas de Deus.
S. Lucas não se refere portanto apenas a um saber teológico do que acontece no baptismo mas a uma experiência sensível, de tal forma que usa termos que revelam a dificudade em traduzir a experiência: Diz que o Espírito veio em forma corporal. Mas que quer isto dizer? Se é Espírito, como pode vir em forma corporal? E depois acrescenta, como uma pomba. Não diz que é uma pomba, mas “como uma pomba”. Parece-se com aqueles pintores ou artistas que representam o irrepresentável dando-lhes um estilo etéreo e estilizado. O que S. Lucas quer transmitir é que a experiência de Jesus foi profundamente sensível levando-o ao «estremecimento do coração» como mais tarde nos é contado pelo mesmo evangelista dizendo que “Jesus estremeceu sob a ação do Espírito Santo e rezou: « Bendigo-te ó Pai, Senhor do céu e da terra porque escondeste estas coisas aos inteligentes e as revelaste aos pequeninos». O batismo terá sido um dos grandes momentos do estremecimento de alegria filial de Jesus. Por isso aqui começa a sua atividade messiânica, para anunciar a Boa nova aos pobres e a libertação aos oprimidos, como dirá na sinagoga de Nazaré.”
Com a cristianização do império, o baptismo começou a ser realizado cada vez mais na idade infantil desligando-o desta experiência sensível, pois a criança não tem consciência do que está a fazer. No baptismo das crianças testemunha-se que tudo é graça já que só Deus se dá sem que possa receber a adesão da fé do baptizado. Por agora esta adesão é dos pais que umas vezes é verdadeira e sincera outras nem tanto. Adia-se assim para mais tarde a experiência do encontro com Jesus que o batizado possa fazer quando aderir pela fé ao Senhor e receber o Espírito Santo.
No entanto também no crisma muitas vezes a preparação consiste mais em receber conhecimentos do que em abrir-se ao dom do Espírito e acontece frequentemente que os crismados também não fizeram nenhuma experiência sensível de encontro com Deus pela ação do Espírito. E por isso também aqui não é o início de nada. Por isso dou tanta importância ao percurso Alpha e a todos os grupos que ajudam o crente a fazer esta experiência sensível do amor de Deus, despertando neles o dom que já os habita desde o batismo mas que tem estado adormecido. Quando se faz, começa então a vida em Cristo e no Espírito. Relembro as palavras de Bento XVI: “Ao início do ser cristão, não há uma decisão ética ou uma grande ideia, mas o encontro com um acontecimento, com uma Pessoa que dá à vida um novo horizonte e com ele, um novo rumo”.
Uma comunidade cristã missionária é uma comunidade que faz a experiência do dom da graça que recebeu e responde entregando-se na missão de anunciar o evangelho aos pobres. Por isso ajudar os cristãos a fazer este encontro com Deus. assumindo o dom do batismo é o grande desafio.

Forum Comunidade Emanuel

À semelhança de anos anteriores, convidamos todos quantos queiram participar neste evento organizado pela Comunidade Emanuel : este ano o tema será relacionado com a família e já reservámos um autocarro que vai e volta no sábado.

Aguardamos preços de alojamento para quem quiser passar o fim de semana inteiro.

Será possível levar um farnel, ainda não sabemos se é possível comer no local onde decorre o encontro (Casa dos Capuchinhos em Fátima) mas mesmo do outro lado da rua há uma churrasqueira, nada cara (+- 7€/pessoa).

O autocarro, se for cheio, fica a 8€/pessoa, pelo que pedimos 10€/pessoa para compensar os lugares vagos.

Para mais informações poderá contactar o Paulo Farinha (919265221).

02 MARÇO – Jornada de Formação dedicada ao Louvor e ao exercício de carismas

O Louvor de Deus é algo que nos faz avançar muito na fé.

Quando se vive uma experiência de encontro com Deus precisamos de O louvar. Mas existem obstáculos que emperram o jorrar do louvor em nossos lábios sendo um deles não negligenciável o aspecto cultural. Mas quando nos habituamos a louvar juntos e superamos essas barreiras, o louvor é um poderoso meio de crescer na fé, de renovar o entusiasmo, de sentirmos Deus próximo de nós e de o vermos em acção nas nossas vidas.

O louvor ajuda-nos a aderir a Deus e a viver na esperança em todas as circunstâncias. Mas ninguém de nós nasce ensinado no louvor. Há uma iniciação que todos temos de fazer. Por isso convidamos o P. Jean-Hubert Thieffry que já esteve cá no Enovar.

Ele vive atualmente no Quebec, mas vai estar em Espanha alguns dias.

O Pe Jorge convidou-o a vir passar um sábado connosco e a dar-nos uma formação prática e teórica sobre o louvor.

Ele aceitou mas deseja também encontrar-se com os padres que querem ver as suas paróquias a entrarem em conversão pastoral ou seja a entrarem no caminho de renovação que o papa Francisco nos pede.

Seria bom se um grande número puder estar e convidem largamente.

A participação é gratuita. Inscreva-se em https://goo.gl/forms/7omOpYGChhxXpLu42.

Almoço de Convívio para os Habitantes da Quinta da Portela

A paróquia de S. João Baptista da Quinta da Portela convida todos os moradores para um almoço convívio ao estilo do S. João: bom acolhimento, boa comida, convívio são de vizinhos, grande insuflável para as crianças se divertirem.

Como as temperaturas ainda não são primaveris, será dentro da Igreja: como já é habitual a Igreja nesse dia estará preparada com mesas de 10 a 12 lugares onde será servida a comida.

Inscrições disponíveis em https://goo.gl/forms/A1wAsGvOrtaUGp8n2 que também poderão ser feitas na secretaria, por telefone (919 265 221) ou por email: igrejasaojoaobaptistacoimbra@gmail.com.

Ementa: bacalhau espiritual ou lombo de porco recheado, servido pelo Sabor&Arte.

Preço: 10€ por adulto / Crianças grátis.

Grande Gala Solidária no Convento de S. Francisco

Coimbra Gospel Choir, Anaquim, Ararur, Sofia Rosado, Telmo Melo, Grupo de Fados Coimbra de Sempre e um grupo surpresa são os artistas que irão integrar a Gala com a qual queremos encher o Grande Auditório do Convento de S. Francisco e angariar fundos para a construção do Centro Comunitário de S. João Baptista na Quinta da Portela.

Os bilhetes custam 10€ e estão à venda nas bilheteiras do Convento de S. Francisco e nas secretarias das paróquias de S. João Baptista e S. José onde podem ser levantados.

Atelier do Tempo e do Saber continua no Centro Comercial Atrium Solum

Depois de, durante parte do mês de Novembro e todo o mês de Dezembro, as senhoras deste atelier terem representado a nossa paróquia num dos centros comerciais da nossa cidade e terem angariado alguns milhares de euros que revertem para a construção do Centro Comunitário, visto que a loja continuará disponível mais algum tempo, continuaremos a assegurar este espaço.

Para além de ser um espaço no qual se pretende angariar algum dinheiro através da venda dos trabalhos desenvolvidos neste atelier do tempo e do saber, é também um espaço de acolhimento e de evangelização: temos lá uma televisão que apresenta as diversas actividades das paróquias da nossa unidade pastoral e, junto ao balcão, uma mesinha com panfletos que servem de pretexto para, quem está a atender, falar e testemunhar da sua alegria de ser discípulo missionário integrado numa comunidade viva e acolhedora, porque está alicerçada em Cristo.

Jantar de Reis

Como o Pe Jorge dizia no final do jantar, a nossa paróquia tem-se construído sentados à mesa. Para além dos jantares semanais à sexta-feira, por ocasião do perCurso Alpha, é frequente, sob os mais diversos pretextos, termos jantares na nossa paróquia.

São oportunidades únicas de atrairmos pessoas que por hábito não vêm à Igreja, mas que estão dispostos a aceitar um convite para jantar. Para além disso, e talvez até mais importante que isso, são momentos fundamentais para consolidar os laços fraternos que nos unem à volta de uma fé comum: família que é família senta-se à mesa para comer e celebrar a alegria de estarem juntos.

A tibornada de bacalhau estava deliciosa e muitos repetiram várias vezes, o que comprova a qualidade culinária do petisco.

Como a Lugrade ofereceu parte do bacalhau e quase todos os restantes ingredientes também tinham sido oferecidos, aproveitámos ainda para angariar mais uns tostões para a construção do Centro Comunitário.

Passagem de Ano na Unidade Pastoral

À semelhança de anos anteriores, muitos paroquianos e famílias inteiras escolheram passar esta noite tão especial em comunidade.

Começámos com os aperitivos e partilha da refeição, num ambiente muito descontraído e fraterno e pouco antes das 23h00 tivemos uma Missa de Acção de Graças durante a qual pudemos agradecer o ano que findava, lembrámos alguns irmãos que partiram, e entregar à providência divina o ano que estava prestes a iniciar.

À meia-noite, estávamos de copo na mão para abrir os espumantes e dar as boas-vindas a 2019.

Bom ano a todos!

A liturgia do Natal do Senhor

O Natal é capaz de ser o acontecimento de índole cristã que mais mexe com a nossa sociedade.

Para os Cristãos, depois do período de Advento durante o qual preparamos o nosso coração para acolher o Deus Menino, é um dia de alegria que começa na noite anterior com o Jantar da Consoada e a Missa do Galo e que se prolonga ao longo de uma semana (a oitava do Natal), e que depois se alonga ainda até à chegada dos Magos com a Epifania.

Liturgicamente, é um período muito rico: canta-se o Glória, decoram-se as Igrejas com o Presépio, dá-se o Menino a beijar, cantam-se cânticos próprios desta época…