Parabéns, Pe Jorge! …e obrigados.

Parabéns, Pe Jorge! …e obrigados.

O nosso pároco, Pde Jorge Silva Santos, celebrou no dia 29 de Dezembro 61 anos de vida. As paróquias de S. José e S. João Baptista quiseram mobilizar-se para celebrar com ele este dia e juntos dar graças ao nosso Deus pelo dom da sua vida e por podermos testemunhar o seu dom ao serviço da Igreja: partilhámos um vídeo nas redes sociais, celebrámos a Eucaristia e juntámos um pouco mais de 100 pessoas à volta de um jantar em clima de festa.

Neste contexto, certos que por muitas vezes e de muitas maneiras a Igreja de Coimbra e os seus ministros nos têm alertado para a crescente falta de sacerdotes, pedimos a alguns paroquianos que testemunhassem de que forma o exercício do ministério do padre, neste caso o Pe Jorge, influenciou e tem conduzido o seu crescimento na vida cristã:

Sinto-me muito feliz pelo carinho com o qual sou tratada nesta comunidade cristã, sentindo-me em família.
Admiro muito o nosso padre Jorge pela sua humildade, generosidade e forma carinhosa que nos aproxima mais de Deus. Passei a amar muito mais a Deus.
Parabéns Pe Jorge por todo o seu trabalho e por tudo o que tem feito por nós.

Aida Vilas

Nascido de uma família de tradições católicas, desde cedo me habituei a ir à missa ao domingo, fiz a primeira comunhão, a profissão de fé e mais tarde o crisma.

Em 1978 entrei para os Escuteiros, como Pioneiro e participei em muitas atividades dae igreja, procissões, encontros de reflexão, pertenci ao Renovamento Carismático nos anos oitenta, na altura com sessões aos domingos à noite na cave da Sé Nova.

Cheguei à idade adulta, pai de dois jovens e a minha fé andava adormecida e com a chama um pouco ténue: ia pouco à missa e muitas vezes esquecia-me de rezar, até que um dia a minha esposa me convenceu a ir à missa à Igreja na Quinta da Portela  e foi lá que me deparei com o Padre Jorge, que já conhecia do tempo do Renovamento Carismático, Começámos então a frequentar essa igreja e em 2010 fizemos o curso Alpha. Na altura não fomos ao fim de semana e, embora tivesse gostado do curso, não senti aquele click.

Enfim, o tempo foi passando e a minha fé continuava frouxa, até que fui contactado para levar amigos ao novo curso Alpha no início de 2017 e, após o jantar de apresentação eu, a minha esposa e os nossos amigos decidimos que íamos fazer o curso …. foi após o Alpha, nomeadamente a experiência do fim de semana, que a minha vida sofreu uma mudança muito grande para melhor, tendo o Padre Jorge contribuído muito para isso, pois com a sua fé enorme e a sua maneira de falar de Deus, contagiou-me por completo e, se anteriormente noutras igrejas muitas vezes estava desatento e nem prestava atenção às leituras e homilia, com ele eu estou sempre muito atento e interessado em tudo, saindo da missa com a alma cheia.

Posso dizer então que este homem mudou a minha vida e a chama da minha fé, até aí entorpecida,acendeu por completo e eu estou muito Feliz.

Obrigado Senhor pelo presente maravilhoso que me ofereceste!

Jorge Pires

Dizer alguma coisa sobre o Padre Jorge Santos não é difícil e começa sempre por Obrigado… Obrigado pelo testemunho de Cristão Crente, simples e entusiasta. Obrigado pela intercessão, pelo acolhimento e pela oração. Continua no Obrigado pelo exemplo e por nos fazer descobrir novos caminhos. Sempre costumo dizer que é um grande “pescador” das coisas de Deus, mas também “pastor”, “agricultor”, “jardineiro”…
Em tempos li no mural de um escritor, nas redes sociais, o seguinte trecho de um poema, que me fez lembrar de imediato o Padre Jorge Santos:
 “O segredo é não correr atrás das borboletas…
É cuidar do jardim para que elas venham até você.
No final das contas, você vai achar,
não quem você estava procurando,
mas quem estava procurando por você!”
A única diferença é que o Padre Jorge Santos aproveita também por correr atrás das borboletas.

Pedro e Paula Silva

Tive a felicidade de conhecer o Padre Jorge Santos quando estava ainda algo distante da experiência de vivência comunitária enquanto membro da igreja,  como pedra viva. Por casualidade, ou talvez não, há uns anos atrás dei por mim a entrar numa missa tardia em S.João Baptista, uma paróquia que acabara de nascer. Impressionou-me ver um sacerdote pregar para 8 almas com a mesma determinação, zelo e amor (ou mais ainda) do que muitos que vira participar em missas com uma audiência de 500. Passei a assistir assiduamente àquela Eucaristia, e tal era o empenho do Padre Jorge em envolver os fiéis na condução da Igreja que em breve também eu me vi a participar em várias das muitas iniciativas que sistematicamente desenvolve com e para os paroquianos. E mais tarde, a seu convite acabei por ajudar na dinamização de outras das suas incessantes actividades. E assim conheci a minha esposa e tantas outras pessoas da comunidade que agora considero minha também. Por considerar esta nova condição de paroquiano muito mais enriquecedora do que a anterior, estou muito grato ao Padre Jorge, a quem enalteco também a proximidade, humildade e verdadeiro amor com que olha para cada uma das ovelhas do seu rebanho.

Ricardo e Telma Mota

Deixar uma resposta

A não perder nos próximos dias: