Batismo do Senhor – «Jesus viu o Espírito de Deus descer como uma pomba e pousar sobre Ele»

Batismo do Senhor – «Jesus viu o Espírito de Deus descer como uma pomba e pousar sobre Ele»

Neste fim de semana celebramos a festa do Batismo do Senhor, acontecimento evocado no ícone da tela que está no presbitério da igreja de São João Baptista.

Confundindo-se com os pecadores do Seu tempo, Jesus submete-se ao batismo de penitência de João, num gesto de humildade, que enche de admiração o Precursor. O Pai, porém, glorifica o Seu Servo, proclamando que ele é o Seu Filho. A Boa Notícia da salvação, começa pois, com este anúncio solene: Jesus Cristo, é, verdadeiramente, o Filho de Deus.

No evangelho deste domingo, Jesus chega à Galileia, à margem do Jordão. Mateus indica a sua intenção de fazer-Se batizar e prepara o diálogo que segue. João tenta impedi-l’O porque ele não pode batizar quem é mais forte, portador do Espírito e que batizará com fogo.

O Batismo de Jesus é um dos episódios que os quatro evangelistas incluem, cada um com as suas características. O relato de Mateus recolhe a incomodidade que se colocava em algumas comunidades pelo facto de que Jesus tenha recebido um batismo de conversão e que fosse batizado por João, que era apenas o seu precursor. Por isso, Mateus faz que João exprima a sua inferioridade, e que contrariamente Jesus insista em ser batizado para cumprir a vontade de Deus. Cada uma das frases de Jesus é combatida por uma controvérsia (v. 15).

A abertura do céu e a descida do Espírito Santo são descritos como um acontecimento palpável (v. 16). Finalmente, a proclamação da voz do céu (v. 17) é o clímax do relato.

Jesus é o Filho de Deus e é a própria voz do Pai que O proclama como Filho amado. As palavras divinas são um eco de Isaías 42, 1 e de outros textos do Antigo Testamento (cf. Gén 22, 2; Sal 2, 7).

O Filho de Deus, no evangelho de Mateus, não só é aquele que é revelado desde o céu, mas sobretudo é o homem obediente à vontade de Deus. O caminho de Jesus é o que leva à perfeição (cf. 5, 48), e Jesus é proclamado Filho porque está disposto a sê-lo. Em Mateus não há nenhuma dimensão celestial, como na teologia de João sobre o Filho, mas existe apenas o caminho da obediência. O Filho de Deus antecipa com o seu comportamento e converte-Se em modelo para os discípulos e para todos aqueles que O querem seguir.

Texto adaptado de Mar Pérez in Misa Dominical

Deixar uma resposta

A não perder nos próximos dias: