2-São José, pai na ternura

2-São José, pai na ternura

Dia após dia, José via Jesus crescer «em sabedoria, em estatura e em graça, diante de Deus e dos homens». Como o Senhor fez com Israel, assim ele ensinou Jesus a andar, segurando-O pela mão: era para Ele como o pai que levanta o filho contra o seu rosto, inclinava-se para Ele para Lhe dar de comer.

“Por vezes queremos controlar tudo, mas o olhar d’Ele vê sempre mais longe” – Apesar de haver momentos menos bons temos que ter fé, temos que acreditar que há sempre Alguém a zelar por nós, mesmo nos pondo à prova. Da mesma forma que José fez com Jesus, nós pais tentamos guiar os nosso filhos, ensinamos os 1.os passos, dando-lhes a mão e tentando amparar as suas quedas, até eles seguirem o seu próprio caminho no mundo.

“devemos aprender a aceitar, com profunda ternura, a nossa fraqueza” – Assim também o nosso pai cá em casa nos ama, nas nossas fraquezas. Quanto mais Deus Pai que nos criou. Assim, também nós temos de nos aceitar com as nossas fraquezas e imperfeições e termos ternura connosco próprios, aceitando e acolhendo a nossa fraqueza.

Querido São José, ilumina-nos o pensamento nos momentos de angústia e cansaço, mostra-nos a ternura no nosso caminho.

São José, ajuda-nos a guiar os nossos filhos para que possam crescer felizes, sem perderem o rumo. Concede-nos a capacidade de transmitir sentimentos de bondade, capacidade de perdão, ensinar a caridade, ultrapassar as dificuldades e a ter alegria nos momentos difíceis.

Querido São José, consagramos-te a nossa família para que possamos crescer na Luz que foste para Jesus.

Deixar uma resposta