DESAFIOS DA VIDA EM CASAL – viver as dificuldades com esperança

DESAFIOS DA VIDA EM CASAL – viver as dificuldades com esperança

Na vida, o casal é confrontado com desafios internos de que já falamos nos artigos anteriores: comunicação, conhecimento de si e do outro, identidade do casal, o cuidar, conflitos. Hoje, parece-nos importante abordar também as dificuldades decorrentes de causas externas.

Embora a lista não seja exaustiva, eis alguns problemas que são verdadeiros desafios para o casal: a doença, o desemprego, a mudança de casa, a espera ou perda de um filho, a saúde e os problemas económicos.

Estas dificuldades são como tsunamis que impactam a vida do casal e provocam stress, medo do futuro, incertezas, mal-entendidos e até mesmo a raiva, levando-os a focar-se no problema, que se torna muitas vezes o único tema de conversa e de preocupação. As dificuldades tornam-se, assim, o centro do casal, minando a relação entre os cônjuges. O risco, então, é que o casal embarque na resolução do problema a todo custo, a ponto de se esquecerem de si mesmos e da sua intimidade.

Neste campo, a sociedade não dá uma grande ajuda, na medida em que endeusa o sucesso, a riqueza, o poder e rejeita tudo o que possa assemelhar-se com fraqueza, falha, dificuldade e imperfeição. Este facto traz um peso adicional, diminuindo a capacidade de acolher esta situação no casal e na família. Na verdade, temos de lutar continuamente contra a tentação de acreditar que a felicidade se pode alcançar fácil e imediatamente.

Quando surge o problema, a primeira boa atitude é fazer memória: dedicar um tempo em casal para relembrar as coisas bonitas que viveram e as coisas difíceis que ultrapassaram juntos. Agradeçam, celebrem!

Por um lado, isso dará sentido ao combate e, por outro, permitirá darem-se conta que este problema não é certamente o primeiro e que já superaram outros juntos. Esta consciência tornar-se-á uma força na qual se poderão apoiar.

A constatação de que não são novatos e de que já venceram outras batalhas, permitirá fugir à tentação do derrotismo e de pensar que nunca conseguirão ultrapassar a provação que é muito pesada. Torna-se, assim, uma provocação escolher afrontá-la com paciência e esperança, acreditando que mesmo no meio das adversidades é possível ser feliz. De facto, a felicidade não depende das circunstâncias, é uma escolha e um dom de Deus. E Deus está presente na provação. Foi Ele que disse: “Não temas, porque eu te libertei … tu és meu. “Se tiveres de atravessar a água, estarei contigo. E os rios não te submergirão; se caminhares pelo fogo, não te queimarás, e a chama não te consumirá.” Isaías, 43, I- 2

A segunda atitude consiste em acolher as provações e dificuldades, vivendo-as com Deus e como lugares de crescimento do amor conjugal. Também aqui se aplica a expressão: “o que não nos mata, torna-nos mais fortes” e fará crescer o amor do casal.

Apoiados nestas primeiras atitudes positivas, eis algumas pistas concretas para atravessar e superar os desafios das grandes adversidades.

Exprimir as necessidades: Os tempos difíceis aumentam a necessidade de escuta, de apoio e de intimidade. Digam-no um ao outro! Digam-no também aos que vos são próximos.

Procurem lugares de partilha: Há grupos onde há casais que vivem as mesmas dificuldades e isso permitirá que se sintam escutados e compreendidos. A compaixão de pessoas atenciosas é fundamental, mas não deixem de procurar a ajuda de profissionais, evitando a tentação de pensar que resolverão tudo sozinhos.

Celebrem todas as pequenas vitórias.

Preservem a vossa intimidade. O casal e a intimidade conjugal são muitas vezes as primeiras vítimas dos problemas da vida. Escolham cuidar da vossa relação para que nem tudo gire em torno do problema. Procurem tornar o vosso casal uma prioridade.

Rodeiem-se de amigos que puxem por vós e vos façam crescer.

Apoiem-se em Deus: por meio dos sacramentos, da intercessão e da oração dos irmãos e da Palavra de Deus que guia e sustenta. Não subestimem nunca o poder da Graça de Deus!

As provações pelas quais passam, o que delas aprenderem, servir-vos-á mais tarde, não só para vós, mas para poderem ajudar outros casais que estejam a viver situações idênticas. Coragem!

Deixar uma resposta