Deus é sempre fiel

Deus é sempre fiel

Ainda mais uma vez neste ano, mesmo no meio da pandemia que ninguém sabe quando nem como acabará, podemos experimentar a fidelidade do Senhor, nosso Deus: Ele é fiel e não deixa baralhados aqueles que nele confiam.

Não deixou baralhado nem confundido o seu próprio Filho que nele confiou, e assim se deixou crucificar e maltratar, nem a nós nos tempos que correm.

Durante a madrugada da noite santa de Páscoa, uma inespectável e insólita ventania destruiu toda a igreja exterior de São João Baptista que tantos irmãos tinham embelezado na véspera com tanto amor, dedicação e carinho. A rede sombra estava inutilizável, as cadeiras estavam todas caídas – a visão era desoladora.

Quem por lá passava de manhã, ao ver aquele triste espetáculo, atrevia se a dizer jocosamente “lá se foi a missa”.

Deveriam estar a pensar “temos silêncio e ninguém nos chateia – nem com som nem com o estacionamento”.

Mas não foi só aos egípcios que o Senhor trocou as voltas ao precipitar no mar cavalos e cavaleiros: pouco a pouco os irmãos iam chegando e arregaçando as mangas (apesar dos belos trajes pascais que traziam vestidos) e a Eucaristia deste santo dia da Páscoa do Senhor começou a horas.

No final pude testemunhar outro tipo de vozes: realmente, nesta paróquia há realmente algo de especial. Lembrei-me, tive de me lembrar, das palavras do centurião romano: “realmente, ele era o Filho de Deus”.

Aleluia : Cristo ressuscitou!

Deixar uma resposta