Papa Francisco escreveu carta às pessoas com deficiência – «Vós sois meus amigos»

Papa Francisco escreveu carta às pessoas com deficiência – «Vós sois meus amigos»

A carta está na internet, não é muito extensa, e pode ser facilmente consultada.

Permitam-me apenas duas palavras acerca da foto que acompanha este texto: é da Claire Fichefeux, uma rapariga que no anos 90 foi abandonada e depois adotada por um casal da Comunidade Emanuel. Era uma rapariga com Trissomia 21, que amava a eucaristia e a adoração eucarística, tocando todos à sua volta pela convicção profunda que tinha da real presença eucarística de Jesus na hóstia consagrada. Tento entrado na alegria eterna do seu Senhor em 2014, com 28 anos, desde essa data que se tem vindo a ensaiar a sua possível subida aos altares.

Transcrevemos aqui apenas 2 parágrafos que nos pareceram ser o cerne da carta do Papa Francisco:

Contam-nos os Evangelhos que, quando algumas pessoas com deficiência encontraram Jesus, a sua vida mudou profundamente e começaram a ser testemunhas d’Ele. É o caso, por exemplo, do homem cego de nascença que, uma vez curado por Jesus, afirma corajosamente diante de todos que Ele é um profeta (cf. Jo 9, 17); e muitos outros proclamam, com alegria, aquilo que o Senhor fez por eles.

Sei que alguns de vós vivem condições de extrema fragilidade. Mas é precisamente a vós que me quero dirigir, talvez pedindo – onde for necessário – aos vossos familiares ou a quem vos acompanha de mais perto que vos leiam estas minhas palavras ou transmitam este meu apelo: pedir-vos para rezar. O Senhor escuta atentamente a oração de quem confia n’Ele. E ninguém diga «eu não sei rezar», porque, como diz o Apóstolo, «o Espírito vem em auxílio da nossa fraqueza, pois não sabemos o que havemos de pedir, para rezarmos como deve ser; mas o próprio Espírito intercede por nós com gemidos inefáveis» (Rm 8, 26). Com efeito, nos Evangelhos, Jesus ouve quem se Lhe dirige mesmo de forma aparentemente inadequada, talvez só com um gesto (cf. Lc 8, 44) ou um grito (Mc 10, 46-48). Na oração, há uma missão acessível a cada um e eu gostaria de a confiar de modo especial a vós. Não há ninguém tão frágil que não possa rezar, adorar o Senhor, dar glória ao seu Nome santo e interceder pela salvação do mundo. Diante de Deus Todo-Poderoso, descobrimo-nos todos iguais.

Deixar uma resposta