Plano Pastoral dado a conhecer à comunidade

Plano Pastoral dado a conhecer à comunidade

Embora a Evangelização seja normalmente considerado o quinto essencial, quinto pilar ou vitamina, por influência do Espírito ou por ousadia missionária, calhou que tenha sido o primeiro ponto do plano pastoral que no passado sábado foi apresentado pela Equipa (fraterna) de Animação Pastoral à comunidade da nossa Unidade Pastoral, em especial representada pelo recém formado Conselho Pastoral.

Por estes dias o plano pastoral já deverá estar disponível nos nossos sites e, por isso, não me parece útil gastar aqui muito esforço nem espaço no seu detalhe: é de leitura fácil, não muito extenso, e recomenda-se a sua leitura.

Vou antes deter-me no processo. Já participei na elaboração e apresentação de muitos planos (também pastorais, mas sobretudo muitos didáticos e letivos, na escola; de negócios, em algumas candidaturas que fiz a nível profissional; de estágio, aquando da minha entrada na vida profissional ativa; etc), mas devo dizer que nunca como desta vez vi um plano ser tão bem recebido e, sobretudo, acolhido.

Foram muitos meses de trabalho intenso, incluindo o mês de Agosto, com uma equipa que foi algumas vezes reformulada por diversas razões. Se bem me recordo, começámos ou em abril ou maio: o Pe Jorge tinha participado numas sessões internacionais com a equipa da Renovação Divina e propôs alargar essa experiência à equipa de animação pastoral. Foi o período da Vitamina C, a dos cinco essenciais que se refere à formação e à conformação a Cristo. Durante quase dois meses, detivemo-nos e procuramos formar-nos em diferentes aspetos relacionados com a condução e administração das paróquias.

A segunda fase terá sido a de análise quase cirúrgica das nossas comunidades. Socorremo-nos de diversos métodos e metodologias, desde a SWOT a outras cujos nomes não consigo recordar, e procurámos analisar o que havia, alimentando esse trabalho e pesquisa na oração. Terá sido o tempo da vitamina B e A: B de “bela comunidade” e A de Adoração. Foi um período difícil durante o qual nos confrontámos com muitas coisas boas, mas também com muitas fraquezas, algumas difíceis de encarar.

A terceira fase, que nos ocupou ainda uma parte final do mês de Julho, o de Agosto e o de Setembro, consistiu em partir muita pedra e, pouco a pouco, ver surgir o que apresentámos à comunidade: o Plano Pastoral para os próximos 3 anos. Foi um tempo de muita vitamina A, mas onde talvez tenha predominado a D, de “dedicação” ou serviço. Foi um período de muita pesquisa, durante o qual uns e outros íamos pesquisar o que se estava a fazer aqui e ali, desde a Austrália (vimos muita coisa da Diocese de Sydney) até à América do Sul e do Norte (a Renovação Divina nasceu no Canadá) e, claro, na Europa (as Células nasceram em Itália, a Comunidade Emanuel em França, o Alpha em Inglaterra – cada um deles com paróquias de referência).

Apresentado que está o Plano, e apesar do entusiasmo inicial, será talvez chegado o período mais crítico e trabalhoso: o da sua comunicação e implementação. É o tempo da vitamina E, a quinta, a da Evangelização, mas em que não iremos muito longe se todas as outras não forem administradas na dose certa: A, de adoração; B, de bela comunidade e vida fraterna; C, de conformação à imagem de Cristo e formação; D, de dedicação e serviço.

Deixar uma resposta