Conselho Pastoral

Conselho Pastoral

Tendo em vista a XVI Assembleia Geral ordinária do Sínodo dos Bispos “Para uma Igreja sinodal: comunhão, participação e missão”, encontramo-nos em plena fase de “consulta do Povo de Deus” (que se estende até ao dia 13 de março de 2022).

Também a nossa UP é convidada a pronunciar-se e, por isso, para responder a duas questões e lançar este processo na nossa comunidade, irá realizar-se online uma reunião extraordinária do Conselho Pastoral na próxima terça-feira, dia 11 de janeiro.

Este percurso sinodal é um processo de “caminhar juntos”, escutando diretamente todas as expressões do povo de Deus, colhendo das bases das comunidades e dos cristãos, dos não cristãos e da sociedade em geral, as impressões, testemunhos e dados referentes à essencialidade da Igreja.

A Igreja de Deus é convocada em Sínodo. O caminho, intitulado «Para uma Igreja sinodal: comunhão, participação e missão», iniciou solenemente nos dias 9-10 de outubro de 2021, em Roma, e a 17 de outubro seguinte, em cada uma das Igrejas particulares e na nossa diocese de Coimbra. Uma etapa fundamental será a celebração da XVI Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, em outubro de 2023, a que se seguirá a fase de execução, que envolverá novamente as Igrejas particulares. Com esta convocatória, o Papa Francisco convida a Igreja inteira a interrogar-se sobre um tema decisivo para a sua vida e a sua missão: «O caminho da sinodalidade é precisamente o caminho que Deus espera da Igreja do terceiro milénio». Este itinerário, que se insere no sulco da “atualização” da Igreja, proposta pelo Concílio Vaticano II, constitui um dom e uma tarefa: caminhando lado a lado e refletindo em conjunto sobre o caminho percorrido, com o que for experimentando, a Igreja poderá aprender quais são os processos que a podem ajudar a viver a comunhão, a realizar a participação e a abrir-se à missão. Com efeito, o nosso “caminhar juntos” é o que mais implementa e manifesta a natureza da Igreja como Povo de Deus peregrino e missionário.

Rezemos e participemos deste belo e histórico caminho juntos, como irmãos, numa igreja constitutivamente sinodal, aplicando cada vez mais os princípios e ensinamentos do Concílio Vaticano II.

Deixar uma resposta