Arquivo da categoria Catequese

Piquenique Catequese Familiar 1º ano

No sábado 26 de junho, reuniu o grupo do 1-° ano de catequese familiar da Paróquia de S. João Batista, no Parque Verde da nossa cidade, para comemorar o espírito de união que se vive na referida paróquia. As crianças brincaram felizes ao ar livre e os pais e catequistas confraternizaram e enriqueceram os seus laços. Neste convívio de encerramento letivo, não faltou também um lanche partilhado. Foi uma tarde muito agradável, unidos no amor a Deus. Jesus disse : “Onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome, eu estarei no meio deles! ”

Como mãe um agradecimento muito especial aos nossos catequistas. Muito obrigada.

Selene (mãe do Duarte)

Festa da Palavra

No passado dia 27 de junho, houve festa na paróquia de São João Baptista. Os meninos do 4ºano da catequese familiar celebraram a sua Festa da Palavra. Em janeiro, confinados cada um na sua casa, receberam a Bíblia pela mão dos pais, uma vez que esta é uma catequese familiar, em que os pais são os verdadeiros catequistas dos filhos em casa. E desde então a têm usado. Mas ontem tornaram mais solene essa entrega.

Já com a Bíblia na mão, cada um leu uma passagem. Passagens que mostram o valor da Palavra de Deus na nossa vida. Evangelhos, Salmos, Livro dos Provérbios, Cartas… E há tantas, tantas passagens que nos mostram a importância que a Palavra Dele tem na forma como vivemos! Dizia o Pe. Jorge que a Bíblia Sagrada é o nosso GPS para o Céu.

De facto, se, como dizia o Beato Carlo Acutis, ”a Eucaristia é a nossa autoestrada para o Céu”, então a Bíblia só pode mesmo ser o GPS.

Foi uma celebração bonita e genuína. E era tão verdadeira a alegria nos olhos deles com as Bíblias nas mãos… Rezemos por estes meninos que ontem celebraram a sua Festa da Palavra, para que tenham sempre o desejo de encontrar Jesus naquilo que está escrito para toda a eternidade, naquele que é o livro mais conhecido no mundo. Porque aquelas páginas contêm a verdade da nossa Fé. E são um tesouro. Há que guardá-lo bem. E que ele dê fruto! Na vida destes meus meninos da catequese e na nossa vida também.

Isabel Caetano

Adolescentes celebram Festa da Vida em SJBaptista

No passado sábado, 12 de junho, os adolescentes do 8º ano que estão na catequese celebraram na comunidade a sua festa da vida.

O Pe Jorge presidiu à celebração: Jesus crescia em estatura, em sabedoria e em graça, diz nos o Evangelho. Este crescer em sabedoria é o aprender uma certa arte de viver. Crescer na graça, é crescer na amizade com Deus. Por vezes, na adolescência, – dia ele na sua homilia – questionamo-nos se vale a pena ainda andarmos a gastar tempo na catequese.

O Pe Jorge falou-lhes de 2 tipos de fé: aquela que está relacionada com aquilo que aprendemos; e aquela em que já não é porque ouvimos falar mas porque fizemos esta experiência. Depois contou a história de um rapaz que conheceu aqui há uns anos atrás, que não era capaz de acreditar, apesar do exemplo dos pais, mas que se dispôs a fazer uma peregrinação de cerca de 500 quilómetros durante a qual ia dizendo uma pequena oração: “Senhor, sê Tu existes, mostra Te a mim”. E Deus mostrou-Se, num Domingo de manhã…

O pároco terminou a sua homilia pegando no texto do Evangelho, que falava da pequena semente de mostarda. Para que esta semente cresça, há que dar-lhe vitaminas : a da oração, a da vida fraterna com os irmãos, a da formação, a do serviço à comunidade e à do anúncio do Evangelho.

Festa do Pai Nosso em SJBaptista

As crianças do 2º ano da catequese fizeram no passado fim de semana a festa do Pai Nosso durante a eucaristia paroquial das 11h00 de Domingo.

Neste ano que tem sido tão atípico em tantos aspetos, foi uma grande alegria para a nossa comunidade paroquial receber tantas crianças e famílias que raramente vemos – até porque, devido à escassez de salas e de espaços em geral na nossa paróquia, e porque o grupo é relativamente grande, eles estão a ter catequese ao Domingo de manhã em São José e muitos optam por ir lá à eucaristia dominical.

Foi uma festa muito bonita: compridita, mas muito bela. Durante a homilia o Pe Jorge ia fazendo perguntas e lançando algumas provocações e não teve grande dificuldade em obter feedback.

Primeira Comunhão em São João Baptista, em dia de Corpo de Deus

As crianças do terceiro ano da catequese familiar da Paróquia de São João Baptista viveram, no Dia de Corpo de Deus, o ponto alto da sua caminhada na Fé, com a festa da Primeira Comunhão. O dia estava como elas, radiante, e a alegria imperou nos corações dos muitos familiares e amigos que quiseram testemunhar mais um marco no percurso da vida cristã destes meninos, que receberam pela primeira vez o sacramento da eucaristia, através da hóstia consagrada.

As catequistas Carla Ribeiro, Beatriz Ferreira e Marta Neves conduziram as mais de 20 crianças neste percurso atribulado e misto, visto que o regime presencial deu lugar ao online entre os meses de janeiro e março, fruto da evolução da pandemia. Apesar de, a início, a adaptação ter sido difícil, o envolvimento das famílias permitiu que, com a Graça de Deus, estas crianças fizessem a Primeira Comunhão numa missa campal com grande afluência, mas que respeitou integralmente as regras sanitárias em vigor.

Na opinião dos presentes, a cerimónia foi bonita, singela e bem vivida, pautando-se pela simplicidade e seriedade características da Paróquia de São João Baptista.

A primeira comunhão do David

De entre todas as crianças que fizeram a Primeira Comunhão no passado dia Corpo de Deus em SJBaptista, todas elas únicas e especiais aos olhos de Deus, havia uma, o David, que ocupa um lugarzinho muito especial e acarinhado na nossa comunidade: o David.

O David é especial também porque é trissómico… e porque nos nossos dias são muito poucos os que sobrevivem até ao dia do nascimento.

A mãe, a Marisa, acedeu a partilhar connosco o momento e o seu testemunho singelo, mas do coração:

O David fez o percurso catequético para a primeira comunhão, juntamente com o seu irmão Gabriel, há já 3 anos. Chegado o dia, ainda não era o seu dia, não quis comungar. Como mãe fiquei um pouco triste, embora esperançada que esse dia chegaria.

Nos últimos tempos foi dando sinais evidentes que desejava comungar e eu e o Gabriel, com a ajuda de Deus e da catequista, fomos incentivando-o e preparando-o para esse grande momento.
No dia do Corpo de Deus o David fez a sua primeira comunhão com as crianças da Paróquia de S. João Baptista. Cumpriu primorosamente as tarefas que lhe foram atribuídas, participando no ofertório levando a píxide ao altar e no final entregando a prenda a uma das catequistas.

Foi um dia maravilhoso e abençoado, com sol radiante… as crianças alegres e felizes por terem pela primeira vez recebido Jesus na hóstia consagrada.

Um grande marco na vida cristã do David, da sua família e amigos…

Marisa Balula Costa

Crianças do 1º ano fizeram Festa da Luz

No passado sábado à tarde, em São João Baptista, havia festa e alegria no ar.

Na rua chovia quanto bastava para satisfazer a sequiosidade de quem clamava por chuva e pela reposição dos níveis freáticos e, pouco a pouco, as famílias iam chegando e acondicionando-se como podiam ou na igreja ou nas salas onde a celebração foi transmitida em direto para esticar como podíamos a lotação apertada que a condição sanitária nos impõe.

Água e fogo (luz) são duas realidades que raramente se dão bem… acabou por não ser esse o caso. À vinda traziam cada um a sua vela de baptismo; na volta levavam cada um uma vela muito carinhosamente feita a partir de frascos de vidro reciclados pelos catequistas e que durante a celebração estiveram a honrar e à guarda do nosso muito querido São José – “pai na ternura”.

Perguntei à animadora familiar dos pais (a catequese às crianças é “dada” por dois jovenzinhos crismados de fresco auxiliados pelo Rui Sousa) quantos eram… ela respondeu que “são os três Reis Magos e muitas Marias”… de facto, é impressionante a predominância de meninas no primeiro ano da catequese da nossa paróquia.

Catequistas de SJBaptista reuniram por Zoom

Muito embora não tenham estado todos presentes, na passada quarta feira 7 de abril os catequistas de SJBaptista estiveram reunidos com o pároco, o Pe Jorge, para discutir, entre outras coisas, o desconfinamento progressivo – algo que se tem vindo a efetuar cautelosamente e sem pressas, mas com a firmeza que a causa impõe. A palavra de ordem, seja como for, é a de que é para desconfinar, tanto quanto seja possível.

Por conta do confinamento do qual estamos a tentar sair, muitas foram as festas da catequese que não se fizeram e boa parte do calendário teve de ser reajustado e redefinido.

Durante o mês de maio, os pais da catequese familiar irão trabalhar a carta do Papa Francisco Patris Corde – Com coração de pai – e fornecer conteúdos a integrar em cartazes que serão partilhados com a nossa comunidade paroquial e que haverão de decorar a nossa igreja.

 

Recomeço da Catequese presencial em SJBaptista

Na véspera da Festa da Palavra, marcada para 24/01/2021, começou novo confinamento. Tudo estava preparado… mas nesse domingo já não foi possível participarmos presencialmente na missa. As Bíblias estavam embrulhadas, mas a pandemia não nos deixava…

Diante de um computador estávamos, pais e filhos, “confundidos, não desesperados (…); abatidos, mas não aniquilados” (2 Cor 4, 1-12). Não seria por causa do vírus que não iríamos continuar a encontrar-nos uns com os outros e com Jesus no meio de nós. Durante várias semanas fomos marcando presença, e o audiovisual foi sendo instrumento para difundir o Evangelho. As Bíblias passaram para as mãos dos nossos filhos e todos partilhávamos uma catequese que se tornava naquele momento da semana em que nos reconhecíamos Igreja no rosto dos irmãos.

Ontem foi, novamente, sábado de catequese. Mas, na Alegria da Páscoa, as portas já estavam abertas de par em par à nossa espera. E, no meio de chuva torrencial e relâmpagos, fomos chegando… Bem lá do fundo, todos fomos partilhando a alegria que experimentávamos por termos vencido o comodismo de uma sessão online para estarmos ali, a construir comunidade de forma mais humana e fraterna. Algumas das crianças, que tinham manifestado alguma resistência em pôr-se a caminho, no final esboçavam, com o olhar, um grande sorriso. E, depois de termos cantado juntos ao ‘Jesus escondido’ que sabíamos presente no sacrário, ainda houve tempo e espaço para uns toques na bola…

Quando regressava a casa vinha-me ao coração a melodia “Oh, como é bom e agradável viver juntos como irmãos!” (salmo 133). Que este Tempo de Páscoa seja também oportunidade para sairmos da nossa zona de conforto e voltarmos a gostar de estar juntos, na comunidade cristã, que nos acolhe e nos envia a anunciar que “O Senhor está vivo, Ele está no meio de nós!”

Margarida Caetano (animadora dos pais do grupo do 4º ano da catequese familiar)

Catequese do 1º ano que nunca ou poucas vezes se encontrou presencialmente

Este ano, um pouco por todo o lado, a catequese ou não se faz ou tem vindo a puxar pela criatividade e boa-vontade de pais, crianças e catequistas. Na nossa Unidade Pastoral, apesar dos constrangimentos, SJBaptista aventurou-se a arrancar com a catequese familiar em setembro, ainda que para isso tenha deitado abaixo uma parede e, de duas salas de catequese, fazer uma só para os pais, enquanto as crianças se reuniam com os seus catequistas na igreja, que dispõe naturalmente de uma espaço muito mais amplo – ainda que para isso se tenha tido de reprogramar os horários da eucaristia de semana e da adoração que por lá se faz às terças e quintas. Ganharam com isso 4 meses de catequese presencial, até ao início do segundo e duríssimo confinamento. No caso de SJosé, em grande parte porque as salas de catequese são de facto muito pouco arejadas e bastante exíguas, fomos adiando até não ser possível nem sustentável adiar mais e, no caso do primeiro ano, temos feito o que podemos com as benditas e abençoadas licenças do Zoom que em boa hora as paróquias compraram no início do primeiro confinamento.
Por tudo isto, pereceu-nos justo pedir um pequeno testemunho a dois catequistas: o Miguel Cruz, jovem a frequentar o 11º ano na Quinta das Flores e acabadinho de receber o sacramento do Crisma; e a Sofia Pereira, um pouco menos jovem mas com muito carinho pelos mais jovens.

Diz-nos o Miguel Cruz, de SJBaptista, que integra uma equipa com outra jovem da sua idade e um casal:

A minha experiência como catequista tem-se revelado bastante gratificante!! No início tinha receio de assumir esta responsabilidade pelo facto de que o interesse das crianças pela vida de Cristo dependeria de mim! E eu próprio deixei de ir à catequese depois da profissão de fé. Por isso sabia, por mim próprio, que não era tarefa fácil cativar-me!
No entanto, ao longo das semanas, tanto pelo feedback dos pais como pela vontade das crianças de ir a catequese, esta nova experiência é deveras recompensadora!!

Miguel Cruz, SJBaptista

        

E diz-nos a Sofia Pereira, com a anuência da Natália, sua parceira nesta aventura catequética:

Vivemos um tempo de mudanças profundas na nossa sociedade, fruto do contexto atual de Pandemia. Fomos desafiadas a construir pontes de proximidade entre a Igreja, as crianças e suas famílias, usando para tal redes de contacto diferentes, adaptados à nossa nova realidade.

Quinzenalmente, juntamos as nossas crianças em 2 pequenos grupos, cada uma em sua casa, e desenvolvemos “uma catequese aos quadradinhos”, como lhe chamamos, usando para tal a plataforma Zoom. Embora distantes fisicamente, sem antes termos tido qualquer contato presencial, sentimo-nos muito próximos.

Esta tem sido uma experiência de grande desafio à nossa criatividade. Na impossibilidade de estarmos juntos e realizar atividades em sala, todas as atividades são pensadas com o objetivo de ultrapassarmos a barreira da distância física e partilharmos momentos de verdadeiro significado. Esta é a nossa missão atual, a de evangelizar, de continuar a anunciar Jesus, de levar Jesus ao coração e à vida de cada criança.

Sofia Pereira e Natália Costa, SJosé