Arquivo da categoria Nova Igreja e Centro Comunitário

Festas de São João Baptista centradas no essencial

Em outros anos, por esta altura, estaríamos a ter reuniões a um ritmo semanal para ultimar todos os preparativos para os grandes festejos de  São João Baptista, o nosso santo padroeiro, que estão marcadas para daqui a menos de duas semanas.

Este ano, mais uma vez, vai ter de ser diferente. Ainda pusemos a hipótese de servir sardinha em modo takeaway – até porque as obras para o Centro Pastoral / Centro Comunitário estarão para arrancar em breve e todo o dinheiro é bem-vindo – mas optou-se por nem isso se fazer.

Centrar-nos-emos no essencial. Será com certeza uma oportunidade para dedicarmos algum tempo a compreender melhor a vocação que foi a deste mártir e que Deus escolheu para preparar os seus caminhos.

Pessoalmente, recordo com carinho uma das conferências que o padre que há uns três anos veio lançar a Adoração Eucarística em São José proferiu e durante a qual explorava a última parte do primeiro capítulo do Evangelho segundo S. João: “No dia seguinte, João encontrava-se de novo ali com dois dos seus discípulos. Então, pondo o olhar em Jesus, que passava, disse: «Eis o Cordeiro de Deus!» Ouvindo-o falar desta maneira, os dois discípulos seguiram Jesus.” (Jo 1, 35-37). – uma bela e profunda conferência que continua disponível no nosso canal Youtube em https://youtu.be/Papf7EJFjrU

Almoço TakeAway

Já tínhamos feito uma primeira experiência em setembro, para substituir o tradicional Jantar de Gala no qual conseguimos reunir sempre cerca de 300 pessoas na Quinta de Dom Luís, em Pereira do Campo, e uma segunda em janeiro, pouco antes do segundo confinamento geral, desta vez para substituir o também tradicional Almoço de Reis à volta de uma bela Tibornada de Bacalhau.

Este era assim o nosso terceiro festejo na modalidade TakeAway. Nem vale a pena dizer que gostaríamos que pudesse e tivesse sido de outra forma… já estamos todos fartinhos desse discurso.

Queríamos festejar a aprovação por parte da Câmara Municipal de Coimbra dos projetos de especialidade referentes ao Centro Pastoral da Paróquia de São João Baptista.

Não chegámos como gostaríamos aos 250 almoços e a meteorologia também não ajudou – a eucaristia não pôde ser na rua como tínhamos previsto e tivemos que nos limitar à reduzida lotação da igreja com mais algumas pessoas distribuídas pelas salas da catequese.


Podíamos ter publicado uma foto dos irmãos a carregar os sacos ou do improvisado balcão de distribuição das doses encomendadas… publicámos antes uma foto do arranjo que a Ana Faustino fez na igreja, inspirada na liturgia do dia que também ela nos falou de TakeAway, não de Vaca Estufada ou Feijoada de Lulas mas de Vida Nova, aquela que só o Senhor nos pode dar e que só nós podemos levar à nossa querida cidade de Coimbra: «Não fostes vós que Me escolhestes; fui Eu que vos escolhi e destinei, para que vades e deis fruto e o vosso fruto permaneça. E assim, tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, Ele vo-lo concederá. O que vos mando é que vos ameis uns aos outros.»
Nós somos cada uma destas flores que o Senhor escolheu para o seu Jardim, parafraseando uma expressão muito popular de Santa Teresinha do Menino Jesus, mas também somos esta cesta de graças que o Senhor quer oferecer ao mundo de hoje: os dons do Seu Espírito Santo. Se as flores já são tão belas, que dizer dos frutos de uma vida cheia do Espírito Santo?

ALMOÇO TAKE-AWAY – 9 DE MAIO

No fim-de-semana já estávamos a caminho dos 150 inscritos mas acalentamos ainda a esperança de nos aproximarmos pelo menos dos 250 – as inscrições disparam sempre nos últimos dias – relembramos a nossa intenção de comemorar a aprovação do projeto das especialidades com um almoço takeaway, no próximo Domingo dia 9 de maio, em SJBaptista – tudo indica que haverá de ser um dia solarengo com eucaristia na rua em total segurança e, à saída da missa, por 12,5€ a dose, poderá levar uma sopa de grão com espinafres + 2º prato à escolha entre feijoada de chocos ou vitela estufada com puré e couve cozida + sobremesa à escolha entre salada de fruta ou pudim flan. Se ainda não o fez, inscreva-se na secretaria, por telefone 239 405 706 ou http://linktr.ee/sjbaptista

Almoço take-away – o 3º deste ano

O projeto das especialidades do centro pastoral de São João Baptista foi aprovado, como já referimos, e tem de ser comemorado… com um almoço. Escusado será de dizer que por enquanto não pode ainda ser presencial… lá há de vir o tempo (e haveremos de o aproveitar bem!).

Assim, dia 9 de maio que com a graça de Deus haverá de ser um dia solarengo com eucaristia na rua em total segurança, em SJBaptista, à saída da missa, por 12,5€ a dose, terá o usofruto de uma sopa de grão com espinafres + 2º prato à escolha entre feijoada de chocos ou vitela estufada com puré e couve cozida + sobremesa à escolha entre salada de fruta ou pudim flan. Inscreva-se como puder, mas inscreva-se. Link para formulário na LinkTree http://linktr.ee/sjbaptista

Projectos da Especialidade do Centro Pastoral de SJBaptista estão oficialmente aprovados

Já aqui tínhamos dado conta desse facto, há umas três semanas, mas, se bem se lembra, dávamos conta de que ainda não tínhamos sido oficialmente notificados. Pois já não é assim. A carta chegou a semana passada e agora é oficial: podemos começar a obra!

Na foto que acompanha este artigo, a comissão para a construção que se reuniu no final da missa logo no dia a seguir à chegada na notificação camarária – pela prontidão com que reuniram, podemos deduzir com algum grau de segurança que as obras começarão em breve, assim o queira Deus.

Com os projetos todos aprovados, passamos então e finalmente à fase da escolha do melhor orçamento para podermos começar ainda este ano, se Deus quiser, a construção do Centro Pastoral tão desejado e tão necessário (palavras do Pe Jorge na Folha Paroquial).

A verdade é que não temos mais do que metade do dinheiro supondo que venhamos a ter um orçamento à volta de 750-800 mil euros, dinheiro que andámos a arranjar ao longo de cerca de cinco anos. Temos a esperança de que muitos paroquianos e amigos da paróquia possam agora dar com mais generosidade e grandeza de alma. Precisamos de partilhar com fé e confiança com os olhos postos em Deus, sabendo que o dinheiro que damos com os olhos postos nele não nos fará falta para o futuro.

É desta que as obras arrancam… em breve… se Deus quiser.

E parece que quer. Na verdade, aqui há um ano atrás havia quem dissesse que não era oportuna a instalação da rede sombra no exterior porque interferiria com o espaço que o estaleiro naturalmente terá que ocupar quando as obras finalmente arrancarem.

Pelo meio, ultrapassámos dificuldades várias, muitas das quais relacionadas com alguma inércia do gabinete de arquitetura e outras tantas com o período em alta que a construção civil por estes dias vive em Portugal e na nossa cidade de Coimbra em particular: basta-nos sair da igreja para nos depararmos com uma quantidade insana de gruas e prédios que nascem ao ritmo de cogumelos.

Na semana passada, depois dos chamados projetos de especialidade que já tinham sido aprovados há algum tempo, foi-nos finalmente concedida a licença de construção. Na verdade ainda não foi, mas soubemos que já havia decisão favorável e que em breve haveremos de receber a comunicação oficial.

Tínhamos pensado que conseguiríamos construir o Centro Comunitário – também há quem lhe chame Centro Pastoral ou simplesmente “as obras” – com cerca de 600.000€, o gabinete de arquitetura falou aqui há uns tempos em 1 milhão e 200 mil, pedimos alterações para baixar o preço e agora aponta-se e reza-se para que não ultrapasse os 800.000€. Temos metade, a um ritmo de perto de 100.000 por ano.

Mãos à obra! Depois acertamos melhor o nome que lhe haveremos de dar.

Domingo da Partilha em SJBaptista

O último Domingo do mês é chamado, em SJBaptista, o Domingo da partilha. Nesse dia o ofertório faz-se (ou fazia-se, antes da pandemia) de forma diferente: faz-se uma procissão e cada um entrega diante do altar, dentro de um envelope e para dentro de um cesto, a sua partilha mensal.

Este ofertório mais generoso é o que sustenta a solidariedade da paróquia através do GASC, as despesas de evangelização, o salário do sacerdote e que vai acrescentando qualquer coisa à conta da construção.

A conta da construção já estaria perto dos 450.000€ há algum tempo, não foram as despesas com o Gabinete de Arquitetura e Licenças várias que sempre estão adjuntas a estes processos.

Nesta data, o saldo da conta afeta à construção do Centro Comunitário, cuja despesa deverá rondar os 700.000€, mais 100 menos 100, é de 359.454.00€ (já foram pagos 67.781.68 ao Gabinete de Arquitetura e outras despesas relacionadas com o processo de construção).

Durante o ano de 2020, a Pastoral da Partilha contribuiu com 8630.00€ para esta conta. Até à data, o Atelier do Tempo e do Saber contribui para a conta da construção com 26.015.00€.

 

Unidade Pastoral lança revista trimestral

Está quase a sair o primeiro número de uma revista de periocidade trimestral na nossa Unidade Pastoral.1520

Impor-se-á para alguns a pergunta: porquê uma revista? Não temos já a Folha Paroquial (semanal), dois sites internet, duas contas no Facebook, duas contas no Instagram, inúmeros grupos no WhatsApp, uma Newsletter semanal (no caso de SJBaptista), televisões à entrada de ambas as igrejas e uma conta no Youtube? – a que acrescem mais umas quantas contas nas diversas redes sociais dos Escuteiros, Centro Social, Catequese, grupos de Jovens e de Adolescentes, etc. Tudo isto para além da regularidade com que semanalmente enviamos conteúdos para o Correio de Coimbra, procurando contribuir desta forma para o jornal e a animação da vida eclesial da nossa diocese.

Neste contexto, qual é então a especificidade da Revista? – até porque, como deverá imaginar, isso envolverá custos, despesas, e os tempos são de contenção.

Antes de mais será mais um canal de comunicação, neste caso em suporte escrito: não é tempo de cruzar os braços. Há que aproveitar todos os canais de comunicação disponíveis para, à nossa maneira e com as graças que o Senhor nos vai dando, levar e anunciar a Boa Nova do Evangelho aos homens e mulheres do nosso tempo e da nossa cidade.

Como pensamos então fazer isso? A revista contará em princípio com um artigo de reflexão em cada número e uma página dedicada aos grandes eventos da nossa Unidade Pastoral. Mas, o grosso do conteúdo será preenchido com testemunhos de vidas transformadas. Recentemente transformadas. Dedicamos nas nossas paróquias um grande esforço à Evangelização, que envolve várias centenas de pessoas que semanalmente dão com alegria e generosidade do seu tempo à sua Igreja: as equipas Alpha, as Células Paroquiais de Evangelização, a Catequese (familiar na sua maioria), os Adoradores (que consideramos todos serem o suporte de todas as graças que recebemos), a loja no Atrium Solum, etc etc. Isso dá frutos, muitos frutos, mas nem sempre é fácil encontrar forma de “anunciar”, ou simplesmente comunicar, essas maravilhas que alguns testemunham e outros vivem.

Se não, vejamos: os adoradores rezam todos os dias pelos bons frutos do Alpha. Mas quantos deles conhecem histórias de vidas transformadas? Uma ou outra vez, é-nos proposto um testemunho durante a eucaristia; ou na folha paroquial; a revista ousará trabalhar um pouco mais esses testemunhos, fazendo deles uma espécie de Actos dos Apóstolos dos nossos dias.

Nas nossas paróquias há muitos médicos. Eles poderão levar uma revista e deixá-la na sua sala de espera, procurando garantir que no início de cada turno ela ocupa na mesinha central o lugar cimeiro. Os advogados, idem. Os professores poder-se-ão esquecer de uma revista da paróquia na Sala de Professores da sua escola ou universidade. Quando qualquer um de nós recebe visitas em casa, pode deixar uma dessas revistas bem visível na sua sala de estar, o que aumenta em muito a probabilidade de um dos temas do jantar ser a paróquia ou Jesus. Se estiver para ir mudar os pneus do carro, pode esquecer-se de uma revista na sala de espera do mecânico. Ou da cabeleireira.

Se Deus quiser, lá para o fim do mês já teremos o primeiro número.

Almoço de Reis

No passado Domingo, apesar do confinamento e do recolher obrigatório, cumpriu-se na paróquia de SJBaptista o tradicional Almoço de Reis. Naturalmente que este ano tivemos de ser criativos: foi em modo take away.
No final da missa das 11h00 foram levantadas 200 doses de Tibornada de Bacalhau ou Arroz de Pato com uma dose de sopa, sobremesa à escolha (Arroz Doce ou Mousse de Chocolate) e uma fatia de Bolo Rei. Naturalmente que não é a mesma coisa: não estivemos todos juntos numa sala a confraternizar – os tempos não o permitem! Cada um comeu em sua casa, restringindo o convívio aos do lar, mas durante a tarde pudemos trocar muitas impressões uns com os outros sobre os pratos escolhidos, as sobremesas, etc.

Assim sendo, o Almoço de Reis, mesmo reinventado, cumpriu a sua principal função: a de criar e cimentar relações fraternas.
Pe Francisco reuniu com os jovens recentemente crismados.

O Crisma, sacramento de lançamento e de afirmação de cristãos maduros empenhados em viver a fé que receberam, é cada vez mais a grande porta de saída, mesmo para os cada vez menos que lá chegam.

No passado mês de Novembro, a paróquia de SJBaptista teve a enorme alegria de propor um grupo de 10 jovens ainda adolescentes para receberem o sacramento do crisma. Na nossa comunidade, são conhecidos como o Grupo xD. E a verdade é que, quase dois meses passados, se não forem e não se sentirem de algum modo convocados, a grande maioria deles acaba mesmo por abandonar a Igreja.

Neste sentido, e para procurar integrar estes e outros adolescentes da nossa paróquia que estão no limiar da idade juvenil, foi criado um novo Grupo de Jovens: os Jovens xD.

Grande parte do seu percurso de vida na fé está indexado ao grande empenho e acompanhamento da Madalena Sousa que os acompanhou desde o 1º ano – aliás, este grupo de catequese, como ela costuma contar, foi a sua porta de entrada na paróquia. À Madalena, como o Pe Jorge já teve ocasião de afirmar na celebração em que eles foram apresentados à comunidade, e em nome de toda a nossa comunidade paroquial, a nossa gratidão e a certeza do nosso reconhecimento: obrigados.

Almoço take away de Reis

Em vez do já tradicional Almoço de Reis, a pandemia obriga ao 1º Almoço de Reis Take Away: refeição com o mesmo espírito, com pontapé no Covid19 e cada família a comer em sua casa, servido pelo Restaurante Qta. de São Luíz em Pereira.

As doses pedidas serão distribuídas no final da missa das 11h, em SJBaptista.

Cada dose terá:
Sopa (deliciosa)
Prato Principal à escolha (o único trabalho que terá será abrir o saco):
Tibornada de Bacalhau ou Arroz de Pato;
Sobremesa (à escolha entre Arroz Doce ou Mousse de Chocolate)
1 fatia de Bolo Rei

Na inscrição deve ser indicado o número de doses e a ementa escolhida.
12,5€ cada dose

Por telefone: 239 405 706 (paróquia) ou 912 395 972 (Manuela)

No formulário: https://forms.gle/1VwvH71t8rHxDwuL7